September 4, 2016

p6 mobiletime.com.br apps reconhece emoções

http://www.mobiletime.com.br/02/09/2016/apps-serao-capazes-de-reconhecer-as-emocoes-dos-usuarios/455462/news.aspx

Apps serão capazes de reconhecer as emoções dos usuários

Fernando Paiva

A empresa europeia MoodMe está em fase final de desenvolvimento de um SDK para o reconhecimento de emoções, a partir da imagem captada pela câmera do celular. A tecnologia da MoodMe é capaz de identificar diferentes emoções no rosto de uma pessoa a partir das suas expressões faciais, como alegria, tristeza, surpresa, raiva e tédio.

“Daqui a três anos o recohecimento de emoção vai ser uma commodity. Todo app vai precisar ser inteligente para perceber como seu usuário está se sentindo em tempo real”, prevê Chandra de Keyser, fundador da MoodMe e executivo à frente da empresa. Ele prevê que os apps vão solicitar a autorização do usuário para filmá-lo com a câmera frontal do aparelho para poderem interpretar sua emoção.

O monitoramento da emoção poderá ser aplicado para personalizar a entrega de conteúdo pelos apps. Um serviço de streaming de música poderá sugerir playlists de acordo com o estado de espírito do ouvinte ao longo do dia. Uma rede social poderia levar essa informação em conta no seu algoritmo para decidir quais publicações priorizar no mural de cada usuário.

O reconhecimento da emoção é feito pelo smartphone do usuário: nenhum dado é enviado para a nuvem. A adição do SDK representa aproximadamente 10 MB a mais em um app, estima De Keyser.

O preço a ser cobrado pela utilização da tecnologia ainda não foi definido, mas deve ser uma licença cobrada mensalmente de acordo com a quantidade de usuários, em que o valor unitário cai conforme o volume.

Rastreamento facial

A MoodMe trabalha há mais de cinco anos desenvolvendo sua tecnologia própria. Em 2012 chegou a ser notícia em Mobile Time, quando ainda apostava em um aplicativo para o usuário final para a criação de avatares com base em reconhecimento facial. À época, contudo, os smartphones não estavam evoluídos o suficiente para garantir uma experiência satisfatória para o consumidor. De lá para cá os processadores móveis melhoraram a ponto de permitir o rastreamento de rosto em tempo real, dentro de vídeo. “Na prática, continuamos com o mesmo algoritmo, mas realizando cinquenta vezes mais ações por segundo”, relata.

A MoodMe oferece um SDK de rastreamento de rosto (ou “face tracking”, em inglês). O produto foi lançado este ano e já conta com alguns clientes. Um deles é uma agência de publicidade norte-americana que vai aplicar a tecnologia em um app educativo de uma gigante do ramo farmacêutico para ensinar crianças a usarem seu spray de limpeza nasal: será criado um efeito para mostrar como o produto deve ser utilizado sobre a imagem da própria criança captada pela câmera.

A ideia da empresa é oferecer os dois SDKs (de emoções e de rastreamento facial) juntos ou separados, de acordo com a necessidade dos desenvolvedores.

Um app em iOS com a demonstração da capacidade do SDK de rastreamento facial está disponível na App Store.

IMG_9933